AJU - Aracaju

Aracajú

Entre rios

Por Ricardo Freire

Aracaju é um desses lugares que despertam no forasteiro a sensação de ter descoberto um lugar onde morar pode ser ainda mais interessante do que visitar.

A cidade se espalha entre dois rios caudalosos, o Sergipe e o Vaza-Barris. O Rio Sergipe é sua fronteira Norte; a cidade nasceu ali. Imediatamente ao Sul está 13 de Julho, o bairro mais elegante, cuja avenida principal bordeja um manguezal viçoso transformado em parque. A ilhota da Coroa do Meio conduz à praia da Atalaia, que ganhou uma belíssima urbanização nos últimos anos – e que é sucedida por 20 km de areias semisselvagens até a praia do Mosqueiro, no Vaza-Barris.

A novidade é que a cidade não é mais contida pelos rios: duas pontes recentes conectam a capital às belezas intocadas do litoral ao Norte e ao Sul.

O que fazer em Aracaju

A Orla de Atalaia é diversão garantida. Tem passarelas de madeira (que servem de atalho até a proximidade da rebentação), ciclovia, parquinho e até um bom Oceanário. À noite você escolhe entre bares e restaurantes junto ao calçadão ou na zona boêmia da Passarela do Caranguejo, do outro lado da avenida.

Duas das cidades mais antigas do Brasil estão nos arredores da capital: São Cristóvão, 23 km ao Sul, e Laranjeiras, 30 km ao Norte.

Aracaju é uma excelente base para passeios. Ao Norte, Pirambu (34 km) tem a base pioneira do Projeto Tamar; Pacatuba (115 km) é a porta de entrada para o Pantanal sergipano. Ao Sul, Praia do Saco (65 km) e Mangue Seco (110 km) são duas cidades que podem ser combinadas numa mesma viagem.

voltar