CGR - Campo Grande

Campo Grande

Novo Oeste

Por Ricardo Freire

A cidade de Campo Grande foi fundada na confluência de dois riachos de nomes contraditórios: Prosa e Segredo. Assim como não existe segredo sem prosa, Campo Grande cresceu cheia de características complementares: qualidade de vida de capital, sossego de interior e o espírito cosmopolita das cidades de fronteira.

Paraguaios, japoneses, sírio-libaneses e gaúchos contribuíram para criar uma mistura cultural sem igual no país. Toma-se sobá (uma sopa japonesa de macarrão), come-se sopa paraguaia (um empadão paraguaio) e bebe-se tereré (um chimarrão gelado e doce).

A cidade é o ponto de partida para Bonito e o Pantanal Sul. Mas não é preciso sair da capital para entrar em contato com a natureza: poucos lugares do Brasil têm tantos parques no perímetro urbano.

Como chegar em Campo Grande

Um simpático ônibus de dois andares, o City Tour, percorre mais de 40 pontos turísticos da cidade. Entre as áreas verdes, duas merecem destaque: o Parque das Nações, que tem 120 hectares e abriga o Museu de Arte Contemporânea, e o Parque dos Poderes, cujo paisagismo é composto apenas por vegetação do cerrado, e que é circundado por prédios da administração pública.

À noite, o lugar mais animado da cidade é a Feira Central, que tem artesanato e barracas de comidas típicas.

Bonito está a 312 km. O ponto mais próximo do Pantanal, Aquidauana, se encontra a 150 km. Miranda fica a 220 km, e é ligada à capital pelo Trem do Pantanal.

​​