MAO - Manaus

Manaus

Capital da floresta

Por Ricardo Freire

Uma cidade multifacetada. Manaus está encravada na maior floresta do planeta, mas também é um polo industrial. Tem ópera e tem boi-bumbá. É um ponto de partida para um mergulho na selva – ou um porto seguro para quem não quer ficar nem uma noite longe dos confortos da civilização.

Se a Manaus da borracha construiu o Teatro Amazonas, a Manaus de hoje, com seus quase dois milhões de habitantes e um skyline de arranha-céus à beira do Rio Negro, tampouco se enquadra no que se espera de uma cidade no meio da Amazônia.

Não se deixe enganar pelas aparências. Os sabores – e os saberes – da floresta nunca tardam a se manifestar. O melhor exemplo? O xis-caboquinho: sanduíche de tucumã com queijo coalho no pão francês, uma iguaria da fast-food manauara.

O que fazer em Manaus

O centro da cidade não se resume ao Teatro Amazonas (onde há visitas guiadas a cada meia hora). Explore os arredores: vá aos centros culturais do Palácio da Justiça e do Palácio Rio Negro e compre artesanato na Galeria Amazônica.

O passeio ao Encontro das Águas dos rios Negro e Solimões fica mais interessante quando você vai numa embarcação alta; numa lancha o contraste é menos evidente. As agências também oferecem passeios de um dia a hotéis de selva nas redondezas.

Espíritos realmente aventureiros podem embarcar nos recreios, os barcos de linha que ligam as principais cidades da floresta. Este turismo antropológico pode ser feito na categoria quase-luxo (compre um camarote) ou roots (leve a sua própria rede).