SSA - Salvador

Salvador

De todas as cores

Por Ricardo Freire

Salvador é a cidade mais exótica que você pode conhecer em território nacional. É um lugar onde os outros brasileiros se sentem um pouco estrangeiros – ao mesmo tempo em que descobrem o Brasil mais essencial.

Qualquer atividade corriqueira – ir à praia, sentar à mesa, participar de uma festa – pode requerer um mergulho cultural. Mas, por outro lado, muita coisa vai lhe parecer familiar: Salvador é a cidade fora do eixo Rio-São Paulo que mais influencia a cultura de massa brasileira.

A capital baiana também é a porta de entrada para um verdadeiro corredor de resorts no litoral Norte – de Itapuã à Costa do Sauípe, passando por Praia do Forte e Imbassaí. Atravessando a Baía de Todos os Santos, chega-se a Itaparica e às ilhas paradisíacas de um dos trechos mais bonitos do litoral brasileiro: a Costa do Dendê.

O que fazer em Salvador

O melhor dia para ir ao Pelourinho é a terça-feira, mais conhecida como Terça da Bênção. Chegue à tarde e fique para a missa-afro, na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, às 18h, e o show de Gerônimo, que sempre canta “É d’Oxum”, na Escadaria do Carmo. Já o dia para ir ao Bonfim – de branco, claro – é a sexta-feira.

No front dos museus, a novidade é a filial do Museu Rodin, na Graça. Mas não perca também o MAM nem deixe de visitar o Forte São Marcelo.

Um dia no litoral Norte deve incluir o Projeto Tamar, na Praia do Forte e o pôr do sol na aldeia hippie de Arembepe. Com um fim de semana livre, pegue o catamarã e vá a Morro de São Paulo – ou pegue em Valença a lancha que leva à ilha de Boipeba.

voltar