SLZ - São Luís

São Luís

Bumba-meu-reggae

Por Ricardo Freire

Misture Nordeste com Amazônia, França com Portugal, bumba-meu-boi com reggae, guaraná com Jesus e o resultado será uma cidade absolutamente singular.

Fundada por conquistadores franceses, São Luís foi logo reconquistada por portugueses, que deixaram seu legado nos casarões de fachadas de azulejo do Centro. A cultura africana é tão arraigada quanto na Bahia; o candomblé é chamado tambor-de-mina. O reggae caiu no gosto do maranhense, com músicas cantadas em “embromation” e dançadas de corpo colado, como no forró. Até o guaraná é original: cor-de-rosa e com forte gosto de canela, atende pelo nome de Jesus.

Continue nos Lençóis Maranhenses e você encontrará outra mistura única: dunas intermináveis, pontilhadas por lagoas cristalinas e cercadas por vegetação amazônica.

O que fazer em São Luís

O centro histórico vale, sobretudo, pelos casarões transformados em centros culturais. A Casa do Maranhão desvenda o universo do bumba-meu-boi; a Casa da Festa joga uma luz sobre o tambor-de-mina; a Casa de Nhozinho exibe arte popular. O Teatro Arthur Azevedo e o Convento das Mercês oferecem visitas guiadas. Encerre seu passeio no mercado da Casa das Tulhas, o melhor lugar para comprar lembranças.

A orla da cidade é extensa; o trecho mais cobiçado é o da praia de São Marcos, que fica entre Ponta de Areia e o Calhau.

Em Alcântara, não deixe de provar o doce de espécie, uma iguaria local. Aos Lençóis Maranhenses, vá sem pressa: você vai precisar de quatro dias para ver o essencial.