Na GOL, seu melhor amigo pode voar pertinho
de você, na cabine de passageiros

Só quem tem um bichinho de estimação na família sabe a felicidade de poder estar com ele em momentos especiais. O Pet na Cabine foi criado para que seu cachorro ou gato possa viajar na cabine de passageiros perto de você. Com a GOL, todo mundo viaja com mais comodidade, inclusive seu pet.

Benefícios de contratar o serviço Pet na Cabine:

• Seu gato ou cachorro pode ficar pertinho de você durante todo o voo, o que vai deixar a viagem muito mais agradável e tranquila.

• O serviço pode ser utilizado em todos os voos da GOL. Isso significa que seu pet pode ir para destino nacional ou internacional com você.

• Em voos internacionais, seu bichinho de estimação pode voar tanto na Classe Econômica quanto na GOL Premium.

Você pode contratar o serviço:

• Durante a compra da passagem.

• Ao acessar a área Minhas Reservas no site, mesmo se o voo já estiver pago.

• Contando com a central de atendimento, pelo 0300 115 2121 (24h).

• No balcão de atendimento da GOL, no aeroporto.

Quanto custa o serviço:

Garanta agora mesmo o lugar do seu pet no voo.
Basta acessar a área Minhas Reservas para fazer a contratação.

Quais pets são aceitos?

• São permitidos cães e gatos em todos os voos domésticos e internacionais operados pela GOL.

• O animal deve ter no mínimo 4 meses de vida.

• O peso máximo para transporte na cabine é de 10 kg, incluindo a caixa de transporte (kennel).

Como levar?

O animal deve ser transportado em um kennel confortável, onde dê para ele se mover, mudar de posição, dar a volta em torno de si e tombar para o lado. Confira as medidas permitidas:

Kennel rígido

altura: 22cm
largura: 32cm
profundidade: 43cm

Kennel flexível

altura: 24cm
largura: 32cm
profundidade: 43cm
  • O kennel deve ter abertura para circulação de ar.
  • O pet deverá permanecer dentro da caixa de transporte na sala de embarque, durante o voo e na sala de desembarque.
  • O pet não poderá ser transportado nas fileiras com saída de emergência.
  • A GOL se reserva no direito de recusar o embarque de animais em kennel que possa causar risco ao voo.
  • No voo, o kennel deverá ser acomodado abaixo do assento da poltrona a sua frente durante toda a viagem. Isso garante a segurança do seu pet e uma viagem mais agradável.

O que não é permitido?

  • A soma do pet e do kennel não pode ultrapassar 10 kg.
  • Por motivos de segurança, crianças até 12 anos, acompanhados ou não por um adulto, adultos com criança de colo e cadeirantes não podem ser responsáveis pelo transporte de um pet.

Essa restrição não se aplica a cadeirantes com cão-guia.

É importante saber

  • O check-in deve ser feito no balcão - 3 horas antes do voo para destinos internacionais e com 2 horas de antecedência do voo para destinos domésticos -, pois é preciso apresentar os seguintes documentos do seu pet: carteira de vacinação em dia, atestados de saúde atualizados e, dependendo do destino, Certificado Veterinário Internacional.
  • É obrigatório entregar a "Solicitação de Transporte de Animais em Cabine de Cliente" preenchida. Clique aqui para ler as regras, imprimir o documento e levá-lo preenchido para agilizar seu atendimento. Caso seja necessário, o documento também estará disponível para preenchimento no balcão de check-in.
  • Alguns países também exigem vacinas sazonais ou têm períodos restritivos.

Veja os documentos necessários para embarcar
com seu animal de estimação

Voos nacionais

Documentação Descrição Validade
Carteira de vacinaçãoO atestado do médico veterinário deve constar que o animal está em boas condições de saúde.Deve ter sido aplicada há mais de 30 (trinta) dias e menos de 1 (um) ano.
Atestado de saúdeO atestado deve ser emitido por um médico veterinário.Deve ser emitido 10 (dez) dias antes da viagem.
Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos*No prazo de 10 dias antes da viagem do embarque, o proprietário deverá solicitar ao medico veterinário que registre as informações sanitárias no passaporte. Depois procurar a Unidade do Vigiagro para a legalização.Valido por 30 dias, a contar da data da legalização pelo Vigiagro

*Dispensa o atestado sanitário e carteira de vacinação.

Atenção:

Viagens para Fernando de Noronha: é necessário solicitar autorização prévia à Administração do Arquipélago de Fernando de Noronha – DECRETO DISTRITAL Nº 019/2004, expedida pela Secretaria de Meio Ambiente e Turismo de Fernando de Noronha pelo telefone: (81) 3619-0810.

Viagem com origem em Carajás: é necessário solicitar autorização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio no endereço: Escritório do ICMBio em Parauapebas. Rua J, 202 - Bairro União. Parauapebas-PA. CEP: 68515-000 e enviar os documentos originais: identificação oficial com foto do titular da passagem aérea, atestado de saúde do animal, emitido por veterinário, carteira de vacinação do animal.

Voos internacionais

Documentação Descrição Validade
Atestado sanitárioO atestado do médico veterinário deve constar que o animal está em boas condições de saúde.Deve ser emitido 10 (dez) dias antes da emissão do CVI.
Carteira de vacinaçãoCarteira de vacinação incluindo a vacina antirrábica. Essa vacina é obrigatória para animais a partir de 3 (três) meses de idade.Deve ter sido aplicada há mais de 30 (trinta) dias e menos de 1 (um) ano.
Certificado Veterinário Internacional – CVICertificado emitido para voo internacional.Válido por 60 (sessenta) dias corridos contados a partir da emissão, apenas para os países membros do Mercosul*.
Certificado Zoosanitário Internacional - CZICertificado emitido para voo internacional.Válido por 60 (sessenta) dias corridos, contados a partir da emissão.
Atestado de saúdeO atestado deve ser emitido por um
médico veterinário.
Deve ser emitido 10 (dez) dias antes
da viagem.
Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos**No prazo de 10 dias antes da viagem do embarque, o proprietário deverá solicitar ao médico veterinário que registre as informações sanitárias (exame clínico, tratamentos, vacinações e análises laboratoriais) no passaporte. Depois procurar a Unidade do Vigiagro para a legalização.Valido por 60 dias,a contar da data da legalização pelo Vigiagro, desde que avacinação antirrábica esteja válida.

*Para demais locais, consulte as exigências para o país de destino.

**Dispensa o atestado sanitário e carteira de vacinação.

Alguns países impõem outras exigências específicas para permitir o ingresso dos animais de estimação em seus territórios. Essas regras podem ser atualizadas sem prévio aviso, sendo necessário a consulta com os órgãos governamentais dos países de destino. Veja abaixo mais informações de cada país.

Na Argentina, só é possível entrar com um pet sem autorização prévia do governo quando os animais cumprem os requisitos especificados no quadro acima e não provenham da África ou da Ásia (esses precisarão de autorização prévia, exceto no caso do Japão)

Se a autoridade argentina identificar que algum o animal é portador de enfermidades, poderá reenviar o animal para o seu país de origem, castrá-lo, sacrificá-lo e/ou submetê-lo a qualquer outra medida sanitária que a Argentina entenda necessária.

O procedimento para a emissão do CVI deve ser aquele previsto nas normativas do Mercosul e dos países de destino.

A responsabilidade pelo cumprimento da legislação argentina é do passageiro, que deve contatar previamente a SENASA, da Argentina, (www.senasa.gob.ar), bem como os Consulados dos países de destino da viagem, inclusive, sobre a necessidade de legalizar os documentos necessários para embarque.

SAC 0810 266 3131

Na Bolívia, só é possível entrar com um pet, cumprindo com os requisitos especificados no quadro acima.

O procedimento para a emissão do CVI deve ser aquele previsto nas normativas do país de destino.

O procedimento para a emissão do CVI deve ser aquele previsto nas normativas do país de destino. A responsabilidade pelo cumprimento da legislação boliviana é do passageiro, que deve contatar previamente os Consulados dos países de destino da viagem, inclusive, sobre a necessidade de legalizar os documentos necessários para embarque.

SAC 800 12 2201

No Chile, só é possível entrar com um pet, cumprindo com os requisitos especificados no quadro acima.

O procedimento para a emissão do CVI deve ser aquele previsto nas normativas do país de destino.

SAC 800 39 5231

No Paraguai, só é possível entrar com um pet, cumprindo com os requisitos especificados no quadro acima.

O procedimento para a emissão do CVI deve ser aquele previsto nas normativas do Mercosul e do país de destino.

A responsabilidade pelo cumprimento da legislação paraguaia é do passageiro, que deve contatar previamente a SENACSA, do Paraguai, (www.senacsa.gov.py), bem como os Consulados dos países de destino da viagem, inclusive, sobre a necessidade de legalizar os documentos necessários para embarque.

SAC 595 21 454 777

No Uruguai, só é possível entrar com um pet, cumprindo com os requisitos especificados no quadro acima e certificado de saúde, contendo os seguintes requisitos:

I - O animal deve estar livre de sintomas, doenças infecciosas e parasitárias;

II - Desparasitação interna e externa, onde conste a validade e produto aplicado no animal;

III - Vacina antirrábica vigente, com informações sobre a data de vacinação, tipo, série e marca da vacina;

IV - Em caso de cachorros, deverá haver comprovação de tratamento contra tênia echinococcus, com medicação que contenha o princípio ativo praziquantel, dentro de um período compreendido entre 72 horas e 30 dias, antes do ingresso.

V - É necessário fazer o teste sorológico de leishmaniose dentro de 60 dias prévios ao embarque.

O Uruguai não aceita animais que tenham sido previamente diagnosticados com Leishmaniose.

O procedimento para a emissão do CVI deve ser aquele previsto nas normativas do Mercosul e do país de destino.

A responsabilidade pelo cumprimento da legislação uruguaia é do passageiro, que deve contatar previamente o Ministério De Ganaderia, Agricultura y Pesca do Uruguai (www.mgap.gub.uy), bem como os consulados dos países de destino da viagem, inclusive, sobre a necessidade de legalizar os documentos necessários para embarque.

SAC 000 4019 0895

Na República Dominicana, só é possível entrar com um pet, cumprindo com os requisitos especificados no quadro acima.

O procedimento para a emissão do CVI deve ser aquele previsto nas normativas do país de destino.

A responsabilidade pelo cumprimento da legislação da República Dominicana é do passageiro, que deve contatar previamente os consulados dos países de destino da viagem, inclusive, sobre a necessidade de legalizar os documentos necessários para embarque.

SAC 1 888 751 9004

No Suriname, só é possível entrar com um pet, cumprindo com os requisitos especificados no quadro acima.

O procedimento para a emissão do CVI deve ser aquele previsto nas normativas do país de destino.

A responsabilidade pelo cumprimento da legislação do Suriname é do passageiro, que deve contatar previamente os Consulados dos países de destino da viagem, inclusive, sobre a necessidade de legalizar os documentos necessários para embarque.

Nos EUA, só é possível entrar com um PET, cumprindo com os requisitos especificados no quadro acima, bem como o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos e o Serviço de Inspeção de Saúde Animal e Vegetal (APHIS) tem requisitos relacionados a levar animais de estimação aos EUA.

Cães:

A partir de 4 meses de idade cachorros podem viajar para EUA.

Passageiro tem que provar a vacinação contra a raiva. Os cães que nunca foram vacinados, devem tomar a vacina pelo menos 30 dias antes da chegada. Assim eles devem está acompanhados de um certificado de vacinação de raiva atual e válido que inclua as seguintes informações: nome e endereço do proprietário;
raça, sexo, idade, cor, marcações e outras informações de identificação para o cão; data da vacinação contra a raiva e informação sobre o produto da vacina; data da vacinação expira; nome, número de licença, endereço e assinatura do veterinário que administraram a vacinação ou declaração escrita (ou oral) de que o cão viveu em um país livre de raiva nos últimos 6 meses ou desde nascimento.

É recomendado aos passageiros verificar com as autoridades sanitárias estaduais e locais do seu destino final, uma vez que os requisitos locais de saúde podem ser aplicados.

  • Compartilhe